quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O BRASILEIRO NÃO FOGE A LUTA.

 

O BRASILEIRO NÃO FOGE A LUTA.

Vemos hoje, diante de tanto desastre natural o que o homem vem passando, muitos perdem tudo e tentam ressurgir como a Fênix das cinzas, vê homens de coragem na Região Serrana do Rio onde perderam familiares e continuam ajudando nas buscas e no auxilio aos flagelados.
Mais o que dizer do brasileiro;
Ele é forte e bravo
Não foge a luta;
Utiliza-se dos versos do Hino Nacional para poder romper barreiras, mesmo que para isso precise se sentir abandonado, ou muitas vezes órfãos de família.
E vê que seu problema não aflige a si só mais há comoção nacional, vê o povo de esta nação acordar com o desejo de ajudar de lutar de trabalhar de transformar, muitos dizem que os Japoneses é um povo trabalhador e que conseguem tudo o que desejam.
Mais vejo no povo Brasileiro um povo batalhador que não se curva a uma derrota mais vence sua batalha com muito esforço e apoio de seus conterrâneos.
E este POVO HEROÍCO E BRAVO E RETUMBANTE vêem o SOL da LIBERDADE EM RAIOS FÚLGIDOS neste instante brilhar com a ajuda humanitária deste povo guerreiro QUE DESAFIAM COM SEU PEITO A PRÓPRIA MORTE.
O amor por sua PATRIA AMADA IDOLATRADA, tem um SONHO INTENSO, com AMOR E ESPERANÇA, VÊ A TERRA QUE DESCE, EM TEU FORMOSO CÉU, que por muitas vezes foi RISONHO E LIMPIDO, transformar uma cidade em minutos.
E vê a  IMAGEM DO CRUZEIRO RESPLANDECER, porque é GIGANTE PELA SUA PRÓPRIA NATUREZA, É  BELO É FORTE IMPAVIDO, e é por isso que ESPELHA SUA GRANDEZA.
O brasileiro não foge a luta.
Texto
PFF Abrão

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

PORTARIA 4 SENASP/MJ


Ministério da Justiça

GABINETE DO MINISTRO
PORTARIA Nº 4, DE 14 DE JANEIRO DE 2011
Institui, no âmbito do Ministério da Justiça,
Grupo de Trabalho para elaboração de
diagnóstico nacional de segurança da malha
ferroviária federal.
O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso das atribuições
legais, e
CONSIDERANDO a natureza das atividades atualmente realizadas
pelos funcionários das empresas derivadas da extinta Rede
Ferroviária Federal S.A. - RFFSA;
CONSIDERANDO as conclusões dos grupos de trabalho
anteriormente estabelecidos com propósitos relacionados ao objeto da
presente Portaria, em particular aqueles resultantes das portarias do
Ministério da Justiça ns° 855, de 04 de junho de 2010, 702, de 31 de
março de 2008 e 1.104, de 12 de junho de 2007;
CONSIDERANDO a necessidade de elaboração de diagnóstico
referente à segurança pública na malha ferroviária federal; resolve:
Art. 1º Instituir Grupo de Trabalho com o objetivo de elaborar
diagnóstico referente às ações de segurança pública voltadas à
malha ferroviária federal.
Art. 2º O Grupo de Trabalho será composto por:
I - três representantes do Ministério da Justiça - MJ;
II - sete empregados públicos que possuem vínculo empregatício
com as empresas derivadas da extinta Rede Ferroviária
Federal S.A. - RFFSA .
§ 1° O Grupo de Trabalho será coordenado por um dos
representantes da SENASP.
§ 2° A participação neste Grupo de Trabalho não enseja
remuneração de qualquer espécie, pois é considerada serviço público
relevante.
Art. 3º O coordenador do Grupo de Trabalho poderá convidar
representantes dos demais órgãos integrantes da estrutura organizacional
do Ministério da Justiça e representantes de outros Ministérios
para compor o presente Grupo de Trabalho.
Art. 4º Os membros do Grupo de Trabalho referidos no
inciso II do art. 2º desta Portaria, desde que comprovem efetiva
participação nos trabalhos, terão direito à percepção de diárias e
passagens, nos termos do art. 4º da Lei n.º 8.162/91 e do art. 10 do
Decreto n.º 5992/2006.
Art. 5º O Grupo de Trabalho terá o prazo de 90 (noventa)
dias para a conclusão de suas atividades, prorrogável por igual período.
Parágrafo único. No prazo previsto no caput deste artigo
deverá ser apresentado relatório final dos trabalhos desenvolvidos, a
ser submetido ao Ministro de Estado da Justiça.
Art. 6º Esta Portaria substitui a Portaria SENASP Nº 3, de 20
de dezembro de 2010, publicada em D.O.U. Nº 245, de 23 de dezembro
de 2010.
Art 7º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
JOSÉ EDUARDO CARDOZO

domingo, 16 de janeiro de 2011

TRAGÉDIA, CHORO E ANGUSTIA

A GRANDE TRAGÉDIA





Nunca na história deste país passamos por momentos tão difíceis, estamos vendo hoje pessoas chorando por seus entes queridos , por uma avalanche causada pela chuvas no sudeste do país em especial o Rio de Janeiro, na região serrana de Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo até este momento foram contabilizados mais de 600 mortos, observando as imagens sentimos o desespero das famílias que ali residiam e o que poderá ser encontrado ainda embaixo de tanta lama e escombros num total de desalojados até o momento de 7.780 pessoas e ainda faltam retirar muitas famílias que estão ilhadas ou com o acesso bloqueado.
Estamos atentos a este desastre e nos sensibilizamos com tudo que esta acontecendo, muitas vezes não nos  lembramos que ali pode estar um amigo um familiar distante ou até mesmo de perto, como muitos visinhos choravam por não poder ter ajudado o outro ou até mesmo seu familiar. É de cortar o coração mesmo estando de longe ficamos sensibilizados com tanta brutalidade e burocracia para atender a quem precisa.
Vimos por exemplo que num momento de catástrofe  ainda precisamos aguardar um pedido de ajuda burocrático, insensível e muitas vezes desumano, quando poderiam ter uma determinação de quando houvesse um caso como este ocorrendo em qualquer parte do Brasil, as Forças Armadas não necessitasse do impasse burocrático para atuar, muitas vezes impedida até mesmo por falta de combustível como foi o caso de ontem.
Sabemos que tudo depende de logística e organização, nosso país não vive num alerta de guerra ou em um momento ser atacado por outros países como sabemos nosso país é soberano e faz parte da força de paz, em catástrofes  no exterior fomos mais ágeis do que dentro de nossa própria  Pátria, por motivos de que o Município não pediu ajuda ao Estado que por sua vez demorou a solicitar ajuda ao Federal, onde por motivos burocráticos não enviou os helicópteros para apoiar a população que chorava  e pedia socorro.
Não faço aqui critica ao governo mais sim a burocracia que impede o crescimento e muitas vezes sepulta sua população.
Vimos o interesse da Presidenta Dilma em ajudar e em enviar verbas e maquinários para tentar amenizar a dor dos que la estão, mais vimos o entrave de mais de 72 hs para se ter o apoio que a população necessitava , as aeronaves que são compradas com dinheiro de impostos pago pelo o povo não poderem atender ao desespero da população por motivos de não ter recebido papéis para sua liberação.
A burocracia é o empecilho do crescimento e da liberdade, sabemos que precisamos apresentar em que gastamos para poder obter mais verbas mais ali estamos vendo no que o dinheiro dos impostos estão sendo gastos, para salvar vidas e consolar os que choram pela perda ou pela fome e sede.
Pedimos aos companheiros da Policia Ferroviária Federal de todo o Brasil que se unam em especial aos companheiros do Rio para ajudar na dor de nossos irmãos.
Montem postos de coleta   em seus estados, ajudem como voluntários no que for preciso pois só assim mostraremos nossa força .
Crédito
Foto Jornal Extra Rio
PFF ABRÃO
www.pffbrasil.blogspot.com