RELÓGIO

NOTÍCIAS

Loading...

POLICIAS

Loading...

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Considerações de Drª Grasiela Merice Castelo Caracas de Moura (Consultora da União).Para o STF.

Vejam as considerações feitas dia 22/02/2012 pela a Drª Grasiela Merice Castelo Caracas de Moura (Consultora da União).




ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO CONSULTORIA-GERAL DA UNIÃO

INFORMAÇÕES Nº 011/2012/GM/CGU/AGU PROCESSO Nº 00400.001675/2012-13 AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 4.708 REQUERENTE: PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA REQUERIDO: PRESIDENTA DA REPÚBLICA.



Senhor Consultor-Geral da União,



Cuida-se da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.708, ajuizada pelo PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, em que essa autoridade argui a inconstitucionalidade do § 8º do artigo 29 da Lei nº 10.683, de 2003, alterado pela Lei nº 12.462, de 2011, que instituiu o Regime Diferenciado de Contratações Públicas -RDC -e incluiu nos quadros do Departamento de Polícia Ferroviária Federal os profissionais do Grupo Rede, que estavam em exercício em 11 de dezembro de 1990.



2. A norma tem a seguinte redação:



§ 8º Os profissionais da Segurança Pública Ferroviária oriundos do grupo Rede, Rede Ferroviária Federal (RFFSA), da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e da Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb) que estavam em exercício em 11 de dezembro de 1990, passam a integrar o Departamento de Polícia Ferroviária Federal do Ministério da Justiça.



3. O Ministro LUIZ FUX solicitou à Presidenta da República informações sobre o alegado na inicial, conforme Ofício nº440/R, de 10 de fevereiro de 2012.



4. A crítica do Autor da ação dirige-se à alteração do § 8º do artigo 29 da Lei nº 10.683, de 2003, promovida pela Lei nº 12.462/2011, a qual inseriu profissionais do Grupo Rede1no quadro de pessoal do Departamento de Polícia Ferroviária do Ministério da Justiça.



5.Segundo o Procurador-Geral da República, a matéria não poderia ser objeto de emenda parlamentar, porque a iniciativa legislativa nesses casos seria privativa do Presidente da República.



6.Haveria também inconstitucionalidade material, porquanto o dispositivo de lei estaria consumando provimento derivado de cargos públicos, em detrimento da exigência de concurso público.



7.Segundo a inicial, os profissionais do Grupo Rede são egressos dos quadros de pessoal de empresas estatais, sujeitos a regime jurídico estabelecido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Para o Procurador-Geral da República, esses antigos empregados do Grupo Rede, ainda que tenham cumprido funções de vigilância, "jamais exerceram poder de polícia", pois qualquer ocorrência relevante era levada ao conhecimento dos órgãos policiais.



8.Foi requerida liminar para suspender os efeitos do § 8º do artigo 29 da Lei nº 10.683/2003, incluído pela Lei 12.462/2011.



9.No mérito, a inicial pretende a confirmação da liminar com a declaração de inconstitucionalidade da norma que previu o aproveitamento, na estrutura do Departamento de Polícia Ferroviária Federal, dos profissionais do Grupo Rede.



II -DA NÃO EXISTÊNCIA DE FUNDAMENTOS PARA CONCESSÃO DE MEDIDA

LIMINAR

10. Para conceder liminar visando à suspensão do dispositivo impugnado é necessário provar a existência do "fumus bonis iuris" e do "periculum in mora". Tais requisitos imprescindfveis não foram demonstrados pelo Autor, que se limitou a afirmações genencas, insuficientes para a caracterização de vício de inconstitucionalidade. Não há, portanto, justificativa para a concessão de liminar.



III- A POLicIA FERROVIARIA FEDERAL E O TRANSPORTE FERROVIÁRIO -A SITUAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA FERROVIÁRIA. RELEVÂNCIA DO TEMA.



11.O dispositivo impugnado objetiva incluir os profissionais da segurança pública entre os demais profissionais da segurança pública federal a partir da integração desses profissionais na estrutura funcional do Ministério da Justiça.



12.Com tal providência, o legislador corrige injustiça cometida contra esses profissionais que, apesar de serem servidores públicos incumbidos de parcela da segurança pública federal, não recebiam reconhecimento formal por parte do ordenamento jurídico pátrio.



13.É de lembrar que a Polícia Ferroviária Federal (PFF) é o órgão policial responsável pelo

policiamento ostensivo das ferrovias federais do Brasil. Desde a sua criação, em 1852, por meio do Decreto NQ 641, de 26 de junho de 1852, assinado pelo imperador Dom Pedro 11, inicialmente com a denominação de POliCIA DOS CAMINHOS DE FERRO, recebeu a incumbência de zelar pelas riquezas do Brasil, quando transportadas em trilhos de Ferro.



14.Na atual ordem constitucional, a polícia ferroviária federal é expressamente mencionada pelo constituinte como órgão permanente, organizado e mantido pela União. Essa função foi, portanto, reconhecida pelo legislador constituinte.



15. Desde a promulgação da Constituição em 1988, a categoria de policiais ferroviários batia-se pela estruturação da Polícia Ferroviária Federal no âmbito do Ministério da Justiça, forte no inciso XXII do artigo 22 e no artigo 144 da Constituição, que estabelecem:



Art. 22. Compete privativamente à União legislar sobre:

(...)

XXII -competência da polícia federal e das polícias rodoviária e

ferroviária federal.

Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:



1(...)

III -polícia ferroviária federal;

(...)

§ 3º A polícia ferroviária federal, órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das ferrovias federais. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)



16.O Departamento de Polícia Ferroviária Federal foi a primeira corporação policial especializada do País. Em 1990, a Lei 8.028, de 12 de abril a integrou à estrutura funcional do Ministério da Justiça, em harmonia com o artigo 144, § 3º, da Constituição da República, que qualifica a Polícia Ferroviária Federal como instituição constitucional permanente.



17. Ocorre que, com a privatização das ferrovias brasileiras em 1996, o efetivo da corporação foi reduzido de 3.200 para 1.200 em todo o país, para fiscalizar cerca de 26 mil quilômetros de trilhos, destinados ao transporte de cargas.

18.Diante desses elementos, o Congresso Nacional, na ocaslao em que se discutiu o Projeto de Lei de Conversão nº 17, de 2001, percebeu a importância de retomar o prestígio funcional dos profissionais de segurança ferroviários, abalado durante o processo de privatização.



19.Convenceram-se os Congressistas da necessidade de impulsionar o uso do transporte ferroviário -de inequívoca importância para um país de dimensões continentais. O tratamento condigno dos agentes encarregados da segurança das linhas de ferro foi, corretamente, sentido como prioridade para esse objetivo.



20.O Executivo, na mesma linha do Legislativo, compreendeu que a questão da centenária categoria dos profissionais da Segurança Pública Ferroviária oriundos do Grupo Rede -integrado pela Rede Ferroviária Federal (RFFSA), pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb) -exigia solução, que foi encontrada na integração do referido Grupo Rede ao Departamento de Polícia Ferroviária Federal do Ministério da Justiça.



21.Portanto, não se trata, aqui, de aproveitamento de empregados públicos em cargos públicos, como alega o Autor da demanda.



22.Há ainda de se considerar que o dispositivo impugnado não autoriza o enquadramento dos profissionais de segurança do Grupo Rede em carreira do serviço público, mas possibilita que determinado pessoal da administração pública, que antes integrava a administração pública federal, seja abrigado na administração direta -no Ministério da Justiça, que dispõe em sua estrutura de Departamento próprio para acolher esses profissionais.



23.Observe-se que do dispositivo não resulta a criação de novos cargos, nem a criação de novos órgãos, mas apenas se confere solução, sancionada pelo Executivo, para um problema premente. Mais ainda, a norma atacada tão-somente confere plena eficácia e concretização ao preceito constitucional alusivo à categoria dos policiais ferroviários. Não há, pois, motivo para especular sobre a impropriedade de forma ou de conteúdo do dispositivo em apreço.



24.Estes os argumentos que demonstram que a presente ação não merece prosperar.



25.São estas, Senhor Consultor-Geral da União, as considerações que sugiro sejam apresentadas ao colendo Supremo Tribunal Federal.



Brasília, 22 fevereiro de 2012.

Drª Grasiela Merice Castelo Caracas de Moura (Consultora da União).

Mensagem enviada por PFF Fernado Henriques.RS

PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Direito de Resposta do SINDMETRÔ DF





Nota sobre panes causadas por suposto plano de sabotagem no Metrô/DF, vinculado em meios de comunicação em 13 de fevereiro de 2012.


Sobre as notícias veiculadas em meios de comunicação sobre panes causadas por possível plano de sabotagem no Metrô-DF, o Sindicato dos metroviários afirma que não tem nenhum envolvimento com o suposto plano de sabotagem, defende que seja feita a apuração dos fatos mencionados e repudia qualquer tentativa de vinculação do movimento de greve com as panes no sistema. O Sindmetrô/DF trabalha dentro da legalidade e postula que o exercício do direito de greve pelos trabalhadores é a manifestação máxima de sua indignação com a empresa. Os limites dessa manifestação são definidos em lei.

As panes nos sistemas de sinalização, elétrico e mecânico do Metrô/DF são causadas por ineficiência e ausência de fiscalização nos contratos de manutenção terceirizada. Estas já foram motivo de inúmeras denúncias por parte do Sindicato. As panes infelizmente ocorrem quase que diariamente, e sua existência apesar de absurdas, já são tidos como corriqueiras por quem pega o Metrô todos os dias. A direção do Metrô/DF parece tentar encontrar uma justificativa para a ineficiência dos serviços de manutenção terceirizada em um suposto “plano de sabotagem”.

A manutenção do Metrô é absurdamente ineficiente, ilegal, cara e gera inúmeros prejuízos à população. Inclusive os trabalhadores metroviários, por diversas vezes, fizeram greve para que ocorram melhorias na precária manutenção do Metrô/DF. Cabe ressaltar que a manutenção é feita por em média 300 empregados terceirizados, estes serviços custam à quantia exorbitante de 126 milhões de reais (o dobro da folha de pagamento dos 1.200 empregados da Companhia), e a permanência de empregados terceirizados na manutenção ainda descumpre decisão judicial.

Mesmo depois de proferida decisão judicial de retorno de empregados concursados nas atividades de manutenção, o Metrô/DF insiste em descumprir a decisão da 7ª Vara do Trabalho, no processo nº 419 de 2004, para manter empregados terceirizados em área fim. Insiste ainda em descumprir acordo firmado entre Empresa e Ministério Público do Trabalho quanto ao retorno de concursados nas atividades de manutenção.

Sobre o fato ter sido encontrado cabos trocados na Estação Central, declaramos que nenhum empregado concursado é autorizado a manipular cabos, essa é uma atividade exclusiva de terceirizados. E se foi realmente alterado os cabos, esse efeito se daria somente na Estação Central, não nos 42 KM da via por onde ocorrerem várias panes em vários trens. Isso nos trás outras indagações: Se o problema foi uma sabotagem e foi resolvido, por que as panes não acabam? Por que hoje foram evacuados mais 2 trens por falhas de portas e tração? Por que hoje à noite Metrô opera com apenas com 20 dos 32 trens, e os outros estão parados na manutenção? O Metrô não está mais em greve e qual é a justificativa para tamanha ineficiência?


Ressaltamos que o comando de greve do Sindmetrô/DF cumpre integralmente a decisão judicial que determina a garantia de 30% dos serviços à população no período de greve, zela pela boa prestação dos serviços, atua no sentido de promover melhores condições de trabalho aos empregados e melhorias no transporte para a população. Fato que ficou evidenciado no julgamento do dissídio de greve, em que o movimento foi julgado LEGAL e não abusivo pelos 8 desembargadores do TRT. Nenhum ato que exceda esses limites determinados pelo Poder Judiciário recebeu ou receberá qualquer apoio por parte da direção deste sindicato.

Por fim, o Sindicato dos Metroviários reitera que não tem qualquer ligação com suposto plano de sabotagem, que todo o movimento de greve foi conduzido de forma legal, que cumpriu todas as determinações judiciais. Os metroviários reivindicam que o serviço desempenhado pela manutenção terceirizada retorne a ser público e assim de qualidade, conforme decisões judiciais proferidas. Repudiamos qualquer tentativa de vinculação do movimento de greve com estes fatos e solicitamos que sejam apuradas todas as irregularidades.

Metroviários e população juntos, por um Metrô público e de qualidade!

SINDMETRÔ-DF

Enviado Por Diego Morais.

PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Metrô do Recife contrata 150 seguranças


150 novos seguranças, incluindo 30 mulheres, foram contratados para atuar nos trens e estações de metrô recifenses a partir dessa quinta-feira (2). Agora, são 348, contando também os vigilantes patrimoniais. Os novatos estão em dois turnos, das 5h às 23h, nas linhas Centro, Sul e Diesel.


"Eles estão circulando dentro dos trens para combater desentendimentos entre os passageiros, depredação dos vagões, desrespeito de pessoas alcoolizadas, irregularidades cometidas por vendedores ambulantes, entre outros problemas cotidianos", informou o gerente de operações de segurança do Metrorec, Augusto Lima. Caso se deparem com essas situações, os seguranças devem descer na estação mais próxima e acionar os policiais ferroviários.

De acordo com Lima, não havia vigilantes dentro dos trens há cerca de quatro meses, quando a empresa terceirizada passou a não realizar o pagamento dos funcionários corretamente, causando a suspensão do contrato. A nova empresa é a BBC Segurança.
Fonte NE10
PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/




Ferrovia Centro-Atlântica conclui reforma de vagões-tanque em Alagoinhas


Bahia

Salvador - A Ferrovia Centro-Atlântica acaba de concluir a reforma de 62 vagões-tanque dedicados ao transporte de combustível. O trabalho envolveu investimento de R$ 1,5 milhão, aplicados não somente ao trabalho junto aos vagões, mas também à modernização da oficina da FCA em Alagoinhas, na Bahia, onde o serviço foi realizado. Com a conclusão dos trabalhos, os vagões estarão prontos a operar no trecho que liga Candeias (BA) a Montes Claros (MG), transportando álcool, gasolina e diesel para a Ipiranga.


De acordo com Alexandre Ítalo, gerente de Processos e Projetos da FCA, o processo de reforma foi iniciado ainda em fevereiro de 2011, com os últimos 15 vagões sendo entregues totalmente modernizados em dezembro. Ao todo, os equipamentos irão carregar um volume de cerca de 8 mil toneladas de combustíveis por mês. “A reforma de novos vagões já está sendo estudada para o ano de 2012, para atender a demanda de transporte de combustíveis na região”, afirma o gerente.

O projeto foi concluído em parceria com a Ipiranga, com a Ferrovia ficando responsável pela mão de obra e operação dos vagões. Do total de equipamentos, 30 já se encontravam na estação de Alagoinhas. Os demais estavam localizados em Minas Gerais e foram levados até a oficina para que os reparos fossem efetuados.

O trabalho envolveu a adoção de mecanismos de proteção especiais, aplicados para o transporte de produtos inflamáveis. Entre eles está a aplicação de engates do tipo Double Shelf, antitombamento.

“Esse dispositivo faz com que o vagão permaneça de pé mesmo em caso de descarrilamento da composição. Além disso, os trens que levam os produtos seguem em velocidade reduzida e trafegam apenas durante o dia, utilizando também maquinistas mais eficientes”, explica o gerente.

Para a aplicação das tecnologias aos vagões, a oficina de Alagoinhas passou por uma revitalização, que envolveu a reforma da caldeira e a área de desgaseificação dos tanques – um procedimento de segurança para eliminar vapores inflamáveis e partículas sólidas. Além disso, toda água que sai da lavagem passa por um processo de tratamento.
Fonte Jornal da midia.
PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/


Passageiro diz que estado de trens no Rio de Janeiro é "uma vergonha"

Após receber critica de uma pessoa que não se identificou como sempre dizendo que os trens do RIO não estavão mais naquela situação passo a informação direto de quem vive o momento, e segundo ele as fotos não condizem com a realidade de hoje portanto leiam e vejam.

Rio
09/02 às 10h37 - Atualizada em 09/02 às 13h10

Passageiro diz que estado de trens no Rio de Janeiro é "uma vergonha"

Jornal do Brasil
Carlos Caroni

"Uma vergonha". É desta forma que o segurança Peter Anderson, 28 anos, descreve a situação dos trens no Rio de Janeiro. Na manhã desta quinta-feira, três composições pararam na estação de Sampaio, na Zona Norte do Rio, e outras passaram a operar com intervalos irregulares. Revoltados, os usuários saltaram dos trens e depredaram uma composição que seguia para a Central. Outros seguiram a pé pela linha férrea para protestar. Na estação Deodoro, passageiros que queriam receber o dinheiro do bilhete de volta (o que foi negado pela SuperVia) tentaram arrombar um caixa eletrônico. As estações do Méier, Engenho Novo, Sampaio e Riachuelo chegaram a ser fechadas durante o tumulto.

Mas, infelizmente, os problemas não são nenhuma novidade. Levantamento feito pelo Jornal do Brasil em dezembro último mostra que desde 2009, quando imagens de passageiros recebendo chicotadas de agentes da concessionária chocaram o país, foram ao menos 14 incidentes graves na linha férrea da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Entre descarrilamentos, panes e atropelamentos, média de uma ocorrência a cada 75 dias.

Morador de Bangu, na Zona Oeste, Peter testemunhou de perto os acontecimentos desta quinta-feira. Cumprindo suas obrigações, ele seguia rumo ao emprego em São Cristóvão, quando o trem onde estava parou na altura da Vila Militar, próximo à Deodoro. Sem informações, aqueles que também tentavam chegar aos seus destinos aguardaram por cerca de 15 minutos para saber o que estava acontecendo. E o esclarecimento partiu de um passageiro que acompanhava o noticiário pelo rádio.


"Todos estavam impacientes. Com o calor forte, algumas pessoas passaram mal. Uma senhora, inclusive, desmaiou. E as crianças, é claro, choravam nervosas. Depois de muita espera, dois policiais militares chegaram. Mas eles não puderam fazer muito. Conseguiram apenas socorrer a idosa e ir embora. Depois começou o quebra-quebra. Destruíram a roleta, os leitores de aviso luminoso, o caixa... Não concordo com a violência, mas esta é a única maneira que o povo tem para protestar", relata Peter.

Sua rotina é estafante. De segunda à sábado pega o trem às 6h30 e só chega em casa por volta de 19h30, após outra longa viagem. Com o agora já costumeiro inchaço nas pernas, não faz muito mais do que descansar no seu único dia livre. A mulher, grávida, reclama que ele não consegue curtir o neném que está por vir. Frustração compartilhada pelo segurança. Como se tudo isto não bastasse, as jornadas são temperadas com doses intensas de altas temperaturas e desconforto.

"O calor é absurdo. A sensação térmica dentro dos trens chega a 50 graus. Vamos todos amontoados. Se você tirar a mão das barras de apoio perde o lugar, se tirar o pé do chão vai com uma perna só, como um saci, até a Central do Brasil. E pior ainda é a situação das mulheres. O vagão feminino lota e elas têm que embarcar nos outros. Seguem espremidas em meio aos homens por todo o caminho. É sofrimento na ida e na volta. Pior ainda para os mais velhos, os que têm dois empregos, moram mais longe", conta.

E a indignação de Peter torna-se ainda maior quando é lembrado que o Rio de Janeiro receberá a Copa do Mundo, em 2014, e a Olimpíada, em 2016. Investimentos milionários, promessas de melhorias no transporte e na qualidade de vida. Para Peter, nada mais do que palavras jogadas ao vento.

"Estão maquiando para os turistas que virão para a Copa, para o Carnaval.Muitos dos trens de ar-condicionado estão guardados há um bom tempo. Nesses eventos aparecerão todos, e os quentes sumirão. Depois a população é abandonada de novo. Uma vergonha", protesta.

Agetransp instaura processo sobre incidente na SuperVia

A Agetransp informa que sua fiscalização de campo, que se encontrava na estação Sampaio da Concessionária SuperVia hoje pela manhã (09), detectou problemas técnicos numa composição que circulava no trecho e imediatamente acionou o CMC da Agência.

Devido ao fato, os passageiros desceram do trem e caminharam pelos trilhos, o que gerou a interrupção do tráfego no local. A Agetransp enviou fiscalização ao local e instaurou processo para apurar os motivos do incidente.

SuperVia divulga nota

"A SuperVia informa que, por volta das 7h10 de hoje (09/02), identificou problema operacional em trem que seguia de Queimados para a Central do Brasil e não pode continuar sua viagem. O trem parou próximo à estação Sampaio (ramal Deodoro) e os clientes precisaram desembarcar na linha, com auxílio dos agentes da concessionária. Equipe técnica está no local para reparar a composição e proceder com a liberação da via, porém, um grupo de passageiros ocupa a linha férrea, impedindo o trabalho dos funcionários e a circulação dos trens dos ramais Deodoro, Japeri e Santa Cruz. Por medida de segurança, as estações Méier, Engenho Novo, Sampaio e Riachuelo foram fechadas. Imediatamente, a SuperVia acionou o Núcleo de Polícia Ferroviária e o batalhão de polícia da área para tomar as devidas providências."


Fotos extraídas do Jornal do Brasil do dia 09/02/12
PFF Abrão


















SETE VAGÕES DESCARRILAM EM SÃO MANUEL (ALL)


Sete vagões de trem descarrilam em São Manuel.

Composição, que seguia para a cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, carregava óleo diesel REDAÇÃO


Sete vagões de trem tombaram em uma ferrovia em São Manuel na madrugada desta quinta-feira (16). A composição, que seguia para a cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, carregava óleo diesel.



Técnicos da empresa que administra a ferrovia trabalharam na tentativa de evitar o vazamento do combustível. Segundo a empresa, ninguém ficou ferido e a previsão é de que o trecho seja liberado ainda nesta quinta-feira.



Uma sindicância foi aberta para apurar as causas do acidente.



* Com informações da TV TEM
PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/



DESCARRILAMENTO NA L9 ENTRE CEASA E OSASCO DA CPTM


Foto: Paduardo/Futura Press


Trem vazio descarrila em São Paulo


Incidente interrompe funcionamento da Linha 9 - Esmeralda entre as estações Ceasa e Osasco

Um trem vazio que seguia na Linha 9 - Esmeralda da CPTM descarrilou próximo à estação Ceasa, em São Paulo. O fato ocorreu por volta das 4h20 da tarde desta quinta-feira, dia 16, quando a locomotiva seguia em direção ao Grajaú.


De acordo com a CPTM, os trens da Linha 9 - Esmeralda não operam entre as estações Ceasa e Osasco, e a circulação está sendo feita entre as estações Ceasa e Grajaú.

A alternativa para os usuários que se destinam além da estação CEASA, a CPTM acionou o sistema PAESE, com ônibus gratuitos, que irão funcionar entre as estações Ceasa, na Linha 9 - Esmeralda, e a estação Domingos de Morais, na Linha 8 - Diamante (Júlio Prestes-Itapevi).

Os demais usuários estão sendo avisados pelo sistema de som das estações e trens.

As equipes de manutenção atuam no local, e ainda não já previsão para a normalização dos trens nas estações afetadas.
Da Redação noticias@band.com.br
PFFAbrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/





quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

SINDPFFAL.

Presidente PARAIBANO
Com muito respeito e alegria comemoro a chegada do Sindicato dos Policiais Ferroviários Federais de Alagoas, com sua sede em Maceió, seu presidente é Leôncio PARAIBANO, um guerreiro, foi chefe de Policiamento em São Paulo, Chefiando os Destacamentos importantes como  Luz ,Francisco Morato, Mauá entre outros digno de respeito e dignidade, um desbravador da causa da PFF no Brasil, iniciou como membro da 1ª associação de São Paulo quando Santana era presidente, lutou junto a superintendência e o Cel. Castanheira cmte da época para colocar os primeiros adesivos da Policia Ferroviária Federal nas viaturas e nas placas dos destacamentos junto com o companheiro Donizete, hoje aposentado é o presidente do SINDPFFAL, onde trabalhou até sua aposentadoria. Tenho muito alegria e honra de ter trabalhado com um companheiro que sempre ouviu seu comandados e respeitava a cada um como se fosse realmente irmão e nunca deixava seus companheiros pelo caminho.  
PFF Abrão

PARABÉNS



Gostaria de Parabenizar a todos os PFFs que aniversáriam hoje em especial a nosso amigo Jerbásio Cândido pelo seu aniversário na data de Hoje.
Muitas Felicidaddes.

PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Colisão entre trens da CPTM deixa 38 feridos em SP

Trem que bateu esta manhã na linha 7-Rubi da CPTM, em São Paulo
Uma locomotiva de manutenção bateu na traseira de um trem de passageiros na Zona Oeste da capital. A circulação da Linha 7-Rubi já foi normalizada


O acidente envolvendo dois trens da Linha 7-Rubi da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPMT) na região do Jaraguá, Zona Oeste de São Paulo, na manhã desta quarta-feira deixou 38 feridos. A Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos concluiu a contagem do total de vítimas da colisão na tarde desta terça.


Segundo a secretaria, não há registro de feridos em estado grave. As vítimas socorridas foram levadas para unidades de saúde da região: os pronto-socorros de Pirituba e Freguesia do Ó e para os hospitais de Taipas, Vila Penteado e Mandaqui.

Acidente - Às 8h50, uma locomotiva de manutenção da própria CPTM bateu na traseira de um trem de passageiros na altura da estação Vila Clarice, que seguia para a estação Luz, no centro de São Paulo. Os passageiros desembarcaram da composição e seguiram viagem em outro trem.

A CPTM abrirá uma sindicância, a ser concluída até sexta-feira, que apontará a causa do acidente. É aventada a possibilidade de a colisão ter sido provocada por uma falha da condutora da locomotiva. A circulação dos trens já foi normalizada. A operação estava sendo feita por única via entre as estações Vila Clarice e Luz.

CORREÇÃO – em uma versão anterior, esta matéria informava que o número de feridos era 48. A CPTM corrigiu posteriormente o total de vítimas.
Fonte: Veja on line
Foto: (Robson Ventura/Folhapress)

PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/




terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

DEPOIS DE SÉCULOS A POPULAÇÃO DO ABC NÃO PODERÁ MAIS DESEMBARCAR NA LUZ



CPTM, garante que trem da linha 10 turquesa que liga o ABC ao centro de São Paulo não irá mais parar na estação da LUZ, o caso esta discutido também por políticos da região que solicitam da concessionária do estado a reativação deste percurso, a muito tempo a CPTM excluiu os moradores de Paranapiacaba retirando os trens de subúrbio que faziam aquele trecho, hoje vemos os mesmo tratamento com os moradores desta região serem proibidos a poder descer onde necessitam.


O direito de ir e vir do cidadão esta sendo deliberadamente proibido pela CPTM, quando impede de seus usuários descerem em uma estação que a séculos estava a serviço da população.

Ficamos tristes em ver o governo aceitar o que esta ocorrendo, como pode um trabalhador que tem seu emprego no centro descer na estação do Brás para poder ir até seu trabalho.

"Tecnicamente, diria que não tem como a operação voltar à Luz", advertiu Bandeira. Segundo o presidente, o objetivo da mudança é "garantir mais conforto" aos passageiros no terminal, por onde passam quase 500 mil pessoas ao dia. "O excesso de gente nas plataformas poderia trazer riscos às pessoas", acrescentou. A demanda na Luz aumentou no ano passado, após a inauguração da Linha 4-Amarela do Metrô.

Bandeira justificou o motivo de a Linha 10 ter sido a escolhida para o corte, e não a linha 7-Rubi (Luz-Jundiaí), que passa pela Estação Barra Funda antes de chegar ao centro da Capital. Na Barra Funda é possível acessar a Linha 3-Vermelha do Metrô. "Nossas pesquisas apontaram que a necessidade dos passageiros da Linha 7 de chegar à Luz é maior do que os da Linha 10. Decidimos, então, privilegiar a maioria." Também pesou na decisão o fato de que os usuários do Grande ABC têm uma opção a mais de baldeação, na Estação Tamanduateí, da Linha 2-Verde (Vila Prudente-Vila Madalena).

O presidente do Consórcio afirmou que entendeu os motivos apresentados, apesar de "estar indignado como cidadão". "Esperamos que, com os futuros investimentos da CPTM e do Metrô, essa decisão não seja para sempre", acrescentou Mário Reali.

parte do texto extraida do Jornal: DGABC
PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/




SEDE DO SINDICATO DOS POLICIAIS FERROVIARIOS FEDERAIS EM RECIFE SERA UTILIZADO PELO SDS DURANTE O CARNAVAL.





Em PE, SDS anuncia esquema especial de segurança no carnaval

Investimento em segurança é de R$ 6 milhões, 37,1% a mais que 2011.


Ao todo, serão mais de 35 mil lançamentos de profissionais de segurança.


A Secretaria de Defesa Social anunciou na manhã desta sexta-feira (3) o esquema especial de segurança para o carnaval de Pernambuco neste ano. Com o tema “Carnaval no Ritmo da Paz”, a SDS vai aumentar o número de policiais nas ruas todos os dias, além de uma parceria com o Tribunal de Justiça, para que os julgamentos dos casos de menor potencial ofensivo sejam resolvidos mais rapidamente.




A Operação Carnaval, que começa neste domingo (5) com a prévia Virgens de Verdade – Abraça Brasil, em Olinda, e segue até o dia 26 de fevereiro, vai contar com 35.829 lançamentos de profissionais de segurança, entre policiais militares, civis, científicos e bombeiros, 19% a mais que no ano passado. “Lançamentos são, simplificando, quantas vezes o policial vai para rua. Como teremos diárias, temos policial vendendo a folga, trabalhando em dois ou três serviços”, explica o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio.



Neste ano, a Secretaria conta com um investimento de R$ 6 milhões, um aumento de 37,1% em relação a 2011, segundo a SDS. “Só em diárias do período pré-carnaval, carnaval e pós-carnaval, nós temos R$ 5,5 milhões. O resto fica para despesas de menor volume, como plataformas”, detalha o secretário. Serão utilizadas também 2.421 viaturas ao longo da operação.



Além dos policiais, o carnaval vai contar com 268 câmeras de videomonitoramento, coordenadas pelo Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciods). “Dessas, temos 68 câmeras direcionadas para o percurso do Galo da Madrugada e as ruas adjacentes”, ressalta Damázio. O Sítio Histórico de Olinda vai contar com 16 câmeras fixas.



O planejamento do esquema de policiamento foi feito em conjunto. “Planejamos ações para todo o estado, de forma a ter um carnaval de paz”, lembra o diretor de operações da Polícia Militar, coronel Éden Vespaziano. “A localização das viaturas foi estudada, estamos com tudo planejado. Em Olinda, por exemplo, temos dificuldade para circular com as nossas viaturas, por isso elas estão em pontos estratégicos”, avisa o diretor de operações do Corpo de Bombeiros, coronel Daniel Ferreira de Lima.





Cartilha vai orientar folião a curtir carnaval com

segurança. (Foto: Katherine Coutinho / G1)Uma cartilha para orientar o folião, com dicas sobre segurança, delegacias e pontos de apoio da polícia também foi preparada pela Secretaria. “Serão rodados 50 mil exemplares. Na cartilha, a população vai encontrar tudo que precisa para poder brincar o carnaval em segurança”, afirma Damázio.



O carnaval conta também com dois helicópteros, sendo um de força médica e outro policial. "No Galo, teremos apenas um deles, o da equipe médica, mas durante o carnaval serão duas aeronoves", diz o secretário de Defesa Social.



Virgens de Verdade

O desfile do bloco Virgens de Verdade - Abraça Brasil, neste domingo (5), vai contar com 1.350 policiais militares, entre Batalhão de Trânsito, Rádio Patrulha, Choque, Polícia Montada, Cães, entre outros. “Contaremos também com o Grupamento Tático Áreo”, acrescenta o coronel Vespaziano. A Polícia Civil vai contar com 88 policiais, quatro delegacias de plantão e uma móvel, enquanto o Corpo de Bombeiros com 93 homens, plataformas de observações e embarcações.



Galo da Madrugada

O Galo conta com um esquema especial, inclusive com apoio do judiciário. Serão 5.860 profissionais, entre policiais civis, militares, científicos e bombeiros. “Teremos também barcos, além da presença constante do Corpo de Bombeiros junto à polícia durante todo o percurso”, explica Damázio. Oito embarcações dos bombeiros também vão dar apoio ao desfile.



A coordenação geral vai funcionar no prédio do Banco do Brasil, na Avenida Dantas Barreto. Dois postos de Comando Integrado também estão prontos para a folia, sendo um no Fórum Thomaz de Aquino e outro na Assossiação de Polícia Ferroviária Federal. “Teremos um juiz em cada ponto desses, promotores, defensores públicos e funcionários do Tribunal para que os casos de menor poder ofensivo sejam resolvidos na mesma hora”, explica a juíza Fernanda de Paula.



As audiências vão acontecer de 13h às 21h, segundo a juíza. “Com dois polos vamos poder julgar muito mais rapidamente os casos”, conta Fernanda. Segundo a Polícia Civil, cada polo contará também com um delegado e uma equipe própria para resolver possíveis problemas e dar apoio ao judiciário.



Olinda

Além das câmeras, o carnaval olindense vai contar com 1.043 lançamentos de profissionais de segurança entre os dias 18 e 22 de fevereiro. O Sítio Histórico terá plataformas de policiais e também de bombeiros para facilitar o resgate da população. Na madrugada do domingo de carnaval, quando sai o Homem da Meia-Noite, a Polícia Militar vai mobilizar 250 agentes. Além disso, quatro delegacias especializadas vão funcionar na Casa da Cidadania, e a Delegacia do Turista na Praça do Carmo. A Delegacia do Varadouro vai ficar de plantão.



Recife

Tanto os polos do centro da cidade como os descentralizados vão contar com policiamento reforçado. Serão 1.500 lançamentos de policias militares, 1.283 de policiais civis e 671 do Corpo de Bombeiros. “Tivemos também um trabalho prévio, de prevenção de acidentes principalmente no Recife Antigo”, lembra o diretor de operações dos Bombeiros. O esquema de segurança conta também com oito delegacias de plantão.
FONTE G1
PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/






Sabotagem no Metrô de Brasilia tem 80 investigados



Sabotagem no Metrô tem 80 investigados




Polícia Civil diz não ter dúvidas de que houve ação humana na violação do sistema do metrô na última sexta-feira. Ao menos 80 funcionários da companhia são investigados e podem pegar até dois anos de cadeia pelo crime.



A Polícia Civil abriu inquérito ontem para apurar um caso de sabotagem no Metrô do DF. Pelo menos 80 pessoas estão na lista das que podem ter entrado na sala restrita onde a violação do sistema ocorreu. As primeiras investigações praticamente descartam uma pane no sistema. Indícios encontrados pelos agentes, como o tipo de cabo utilizado para interromper o funcionamento do tráfego e a programação feita para provocar as pausas dos trens, reforçam a hipótese de ação humana criminosa. As suspeitas começaram após denúncia de funcionários da Companhia do Metropolitano do DF, que encontraram o armário onde estaria a fiação danificada. Na última sexta-feira, as viagens dos trens tiveram atrasos de até uma hora e muitos passageiros ficaram trancados nos vagões.



O chefe da 23ª Delegacia de Polícia (Ceilândia), Yuri Fernandes, responsável pelo caso, afirmou que o cabo encontrado conectado de forma irregular era da própria rede de manutenção do metrô, o que reforça a hipótese de o dano ter sido causado por um empregado do órgão. “É muito difícil que alguém de fora tenha conseguido entrar lá. Mais improvável ainda é alguém entender do sistema e saber como provocar as paradas do trens em horários programados, como ocorreu”, disse o delegado. Segundo ele, o universo de suspeitos é grande, vai desde faxineiros até motoristas. “Verificamos que houve intervenção humana. Qualquer sistema pode dar problemas, mas não acreditamos que esse foi o caso. Essa ação poderia ter provocado uma tragédia”, complementou.

Fonte: Jornal Extra de Alagoas

PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/






ENQUANTO SE DESCUTE A ADIN FERROVIAS E METRÔ SÃO ALVOS DE VANDALISMO

Nos últimos dias estamos a tona de uma ADI solicitada pelo Sr. PGR, e no entanto se esqueceram de anos da Segurança Pública ferroviária abandonada a mercê de vândalos e sabotadores do sistema.


Vimos nos últimos dias o descaso da segurança no Rio de janeiro em São Paulo e no metrô de Brasília, em São Paulo foi necessário o DR. Abelha solicitar o retorno da Policia Ferroviária Federal para patrulhar as ferrovias no tocante a acabar com as mazelas causadas pelas concessionárias vendendo o bem móvel como sucata, no Rio de Janeiro vimos o descaso da super via com os usuários que revoltados depredaram o patrimônio após a quebra de uma composição, utilizando assim a Policia Militar para fazer a evacuação das estações coisa que é de responsabilidade por lei da PFF que infelizmente foi desmontada naquele estado, em Brasília vimos a sabotagem feita através de um cabo de conecção, no qual causou prejuízo para a empresa e para os usuários do sistema.

Não se esqueçam de que isso iremos ver ainda mais pois no Brasil temos uma malha ferroviária muito grande que caiu no esquecimento pelos nossos representantes como fizeram com nosso pessoal, em Minas foram roubados 70km de trilhos, imagine só uma distância que equivale as estações de Paranapiacaba a estação da Luz em São Paulo, em torno de 50 minutos de trem de subúrbio na velocidade média de 80k/ph .Ninguém sabe ninguém viu.

Mais acidentes com descarrilamentos tombamentos de composições de cargas e passageiros, país só irá acordar para o meio ferroviário quando acontecer a maior tragédia do país as cenas que acompanhamos nos últimos dias de passageiros abarrotados no RIO só vimos na índia e indonésia onde o sistema ferroviário é insuficiente para a população. Comparem as imagens.

Indonésia,                                                                  Mumbai na Índia

Rio de Janeiro
Esperamos que a CNRPFF, com nossos companheiros DECCO, SOUZA, Dr. REGINALDO e nossos amigos deputados Federais Ademir Camilo, Marco Maia, Alice Portugal entre outros continuem nos apoiando nesta luta, o Senador José Sarney e outros, e primordialmente nossa presidenta Dilma Rousseff, se sensibilize pela cousa ferroviária e por nossa causa de anos de luta, que não pode ser esquecida e também valorizada pelos 160 anos como a PRIMEIRA POLÌCIA ESPECIALIZADA DO BRASIL, não existe no nosso país profissionais de segurança mais capacitados em ferrovia que os POLICIAIS FERROVIÁRIOS FEDERAIS, pois muitos nasceram nas beira de ferrovias outros são filhos de ferroviários e conhecem todo o trecho em nosso país, porque respiram ferrovia.

Homens valorosos que não se curvam e não se calam, pois somos HOMENS de FERRO por todo o país.

PFF Abrão
http://www.pffbrasil.blogspot.com/