sexta-feira, 25 de junho de 2010

"Foi covardia o que os governos fizeram com os ferroviários na década de 90"

Foi covardia o que os governos fizeram com os ferroviários na década de 90"




Convidado pelo Sindicato dos Policiais Ferroviários Federais de São Paulo a participar da assembléia da categoria na manhã de sábado, 19 de junho, o deputado federal João Paulo Cunha (PT - SP) foi enfático ao defender os servidores públicos e a política nacional de valorização de um Estado forte. A reunião foi realizada na sede do sindicato, na capital paulista, com mais de 200 pessoas presentes.



De acordo com o parlamentar, a imagem do servidor público sofreu uma degradação a partir da década de 80 e piorou ainda mais no decorrer da década de 90. "Durante muito tempo, o servidor público de qualquer categoria foi menosprezado. Seja policial ferroviário ou qualquer outro. Foi estigmatizado perante a sociedade como alguém que não servia para nada. Essa foi uma visão política que predominou na década de 90. Isso destruiu uma grande parte do nosso serviço público", criticou.



Para João Paulo, esse quadro enfraquecia ainda mais o Estado brasileiro e supervalorizava a iniciativa privada. Segundo ele, a situação se inverteu no governo Lula, que acredita no fortalecimento do Estado. "Num país como o Brasil há uma massa muito grande que precisa do Estado. Aquela visão da década de 90 foi quase um crime, porque o Estado fraco prejudica as pessoas mais necessitadas", explicou.



O deputado citou a ampliação do sistema ferroviário brasileiro, estimulada desde o começo da gestão do presidente Lula. Além disso, criticou a falta de atenção dos governos anteriores com a rede ferroviária nacional. "O que os governos dos estados fizeram com os trens durante a década de 90 e com o trabalhador ferroviário foi covardia. Em qualquer país do mundo o ferroviário é enaltecido, é uma categoria reconhecida. Aqui no Brasil não era assim. Quem é ferroviário sabe", comentou o parlamentar.



O presidente do Sindicato da Polícia Ferroviária Federal do estado de São Paulo, Edson Lima de Menezes, agradeceu o apoio oferecido pelo parlamentar e disse que nunca iria esquecer aqueles que ajudaram a categoria. De acordo Menezes, o deputado foi o único elo de contato do sindicato com o Ministério da Justiça. "Nunca tínhamos recebido o João Paulo aqui porque nunca tínhamos firmado compromisso com nenhum deputado. Tenho três anos de mandato e, pessoalmente, nunca tive acesso ao ministro da Justiça, mas com apoio do deputado tivemos contato com o ministério. Ele nos pegou pela mão, marcou uma data e me levou pessoalmente para conversar com o ministro. Isso não vou esquecer nunca", relembrou o presidente do sindicato.



Para Antonio Leão de Decco, coordenador da Comissão Nacional dos representantes da Polícia Ferroviária Nacional, a parceria entre esse setor trabalhista e o deputado tende a ser fixa e duradoura. "Falei ao deputado que nossa luta não é fácil, mas ele não deixou de nos apoiar", finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário